fbpx

4 Fatores que Preveem o Ganho de Peso

por Troy Purdom e Len Kravitz.

Profissionais fitness gastam muito tempo ajudando as pessoas a perder peso, mas há outra forma de encarar este desafio: Quais são os principais fatores que levam as pessoas a ganharem peso?

Compreender os comportamentos específicos que aumentam o risco de ganho de peso é essencial para ajudar os clientes a gerenciarem seu peso. Enquanto a maior parte dos artigos de gestão de peso se concentram em estratégias e comportamentos para perder peso, nós vamos examinar o outro lado da moeda: seis fatores que preveem o ganho de peso ao longo da vida americana.

  1. Comer Alimentos de Alto Teor Calórico

Mozaffarian et al. (2011) descobriu que hábitos alimentares associados ao ganho de peso progressivo ao longo de vários períodos de quatro anos de duração incluíram o consumo regular de

  • Batatas fritas e batatas (purê, batatas assadas e cozidas);
  • Carnes vermelhas, carnes processadas (bacon, salame, salsicha e embutidos) e carnes vermelhas não processadas (carne, hambúrguer, carne de porco, cordeiro ou de caça);
  • Manteiga, doces e sobremesas; e
  • Grãos refinados (alimentos como farinha branca e arroz branco).

Alimentos que ajudam a controlar o peso. Estudos também descobriram que a ingestão de alimentos como nozes, grãos integrais, frutas, legumes, iogurte, refrigerante diet (zero caloria), queijo e leite (baixo teor de gordura, leite desnatado e integrais) aparentemente reduz o ganho de peso. Mozaffarian et al. (2011) explica que esses alimentos têm uma taxa mais lenta de digestão (sendo alguns ricos em fibras) e parecem aumentar a saciedade – a sensação de estar cheio depois de uma refeição.

Estes alimentos podem substituir outros alimentos, como alimentos muito processados, na dieta, criando um mecanismo biológico razoável através do qual as pessoas que comem mais frutas, nozes, legumes e grãos integrais ganham menos peso ao longo do tempo (Mozaffarian et al. 2011).

  1. Consumir Bebidas Adoçadas com Açúcar

Bebidas adoçadas com açúcar (BBAs) têm pouco benefício nutricional e são declaradamente o maior provedor de quilocalorias na dieta americana (Dennis, Flack & Davy 2009). Em 2006, Malik, Schultz & Hu concluiu que estas bebidas foram responsáveis por aproximadamente 8% -9% da ingestão total de energia em crianças e adultos. BAAs contêm carboidratos em várias formas, tais como de xarope de milho de alta frutose, sacarose e edulcorantes artificiais. Beber BAAs tem pouco impacto sobre a saciedade (Malik, Schultz & Hu 2006), então as pessoas podem consumir grandes quantidades sem suprimir o apetite (Mattes 2006).

A resposta do organismo aos carboidratos (de valor calórico igual) é diferente dependendo se o mesmo for sólido ou líquido. Em um estudo cruzado, Dimeglio & Mattes (2000) descobriram que pessoas beberam BAAs ganharam significativamente mais peso do que quando elas consumiram quantidade comparável de carboidratos na forma sólida. Os indivíduos participaram em ambos os tratamentos, a cada 4 semanas, e o tratamento com BAAs produziu o dobro de massa de gordura em comparação com a intervenção com carboidratos sólidos. Ambas as fontes de carboidratos tinham calorias equivalentes a três refrigerantes de 350ml por dia em ambos os tratamentos (Dimeglio & Mattes 2000).

  1. Dormindo Muito Pouco (ou Muito)

Embora sejam necessários mais testes clínicos, vários estudos epidemiológicos sugerem que o ganho de peso é influenciado por dormir menos de 7 horas ou mais de 8 horas por noite (Marshall, Glozier & Grunstein 2008). De acordo com Marshal e seus colegas, pessoas que dormem muito pouco desenvolvem um metabolismo crônico prejudicado da glicose, contribuindo de forma constante para obesidade. Além disso, a privação de sono abaixa significativamente os níveis circulantes do hormônio leptina e aumenta os níveis do hormônio grelina – ambos efeitos que promovem a ingestão de alimentos (Van Cauter et al 2008).

Alterar a regulação destes hormônios contribui para aumento da fome e do apetite, especialmente em alimentos ricos em carboidratos ligados ao ganho de peso (Van Cauter et al. 2008). Num mundo ideal, dormir 7-8 horas cada noite complementa um programa de gerenciamento de peso bem-sucedido.

  1. Assistir à Muita Televisão

O tempo gasto assistindo à televisão está muito correlacionado com o ganho de peso, especialmente em pessoas jovens (Chapman et al. 2012). Chapman e seus associados nos dizem que 58,9% dos americanos assistem televisão por mais de 2 horas por dia. De acordo com esses autores, estudos epidemiológicos revelam que aqueles que assistem regularmente a televisão mais vezes por dia tendem a

  • Fazer mais lanches enquanto assiste a TV;
  • Ter uma maior ingestão calórica total de alimentos; e
  • Consumir mais alimentos com alta densidade energética.

Todas essas escolhas levam ao ganho de peso.

Outras evidências indicam que imagens visuais de comida palatável (regularmente vistas em comerciais de alimentos) geram um aumento nas concentrações de grelina plasma, assim, aumentando a resposta da fome/apetite (Chapman et al. 2012).

Tem alguma dúvida?

Fale com
a Dofit

Dúvidas? Pode enviar sua mensagem e nossa equipe responderá por e-mail ou Whatsapp.

© DoFit. 2022 - Todos os direitos reservados
Criado por deu lucro