fbpx

A Musculação é o Remédio 

em um estudo feito por Artero, et al., (2012) foi verificado que o trabalho de força muscular especificamente da através musculação teve um efeito protetor sobre todas as causas e sobre a mortalidade por câncer em homens saudáveis de meia-idade, homens com hipertensão e pacientes com doença cardíaca.  Eles também descobriram que o condicionamento muscular foi inversamente associado ao peso e aos ganhos de gordura, o risco de hipertensão e prevalência de síndrome metabólica.  Eles concluíram dizendo que altos níveis de aptidão muscular parecem contrariar o perfil cardiovascular desfavorável de indivíduos com sobrepeso e obesos.  Esta é uma pesquisa importante porque muitas pessoas pensam que só o exercício cardiovascular pode ter estes tipos de efeitos sobre pacientes com doença cardíaca e indivíduos obesos.

Westcott (2012) indica que adultos inativos perdem de 3-8% de massa por década, uma diminuição da taxa metabólica de repouso, e aumento do acúmulo de gordura.    No entanto, ele descobriu que dez semanas de treinamento de resistência aumentam o peso de massa magra em três libras, aumentam a taxa metabólica de repouso em 7% e reduzem o peso de gordura em quatro libras.  Além disso, os benefícios do treinamento de resistência incluem a melhoria do desempenho físico, controle de movimento, velocidade de caminhada, independência funcional, habilidades cognitivas, e auto-estima. O treinamento de resistência pode promover o desenvolvimento dos ossos, com estudos mostrando um aumento de um a três por cento da densidade mineral óssea.

McGuigan, et al., (2009) fez um programa de treinamento de resistência por oito semanas (três dias por semana) com crianças que estavam com sobrepeso ou obesas.  Havia 26 meninas e 22 meninos, com idade média de 9,7 anos.  Após o treinamento, eles verificaram uma diminuição na porcentagem de gordura corporal absoluta de 2,6% e um aumento significativo da massa corporal magra de 5,3%.  Houve aumentos no número de agachamentos (74%), o número de flexões (85%), a altura do salto com passada (8%), a altura do salto estático (4%) e energia (16%).  Com base nestas descobertas emocionantes é difícil argumentar que o exercício cardio teria o mesmo efeito.

Westcott, (2012) comparou os benefícios da musculação em relação aos exercícios cardio e observaram os seguintes resultados:  Para redução de gordura, o treinamento cardio utiliza mais calorias durante o exercício, mas há menos EPOC.  Como tal, caloria a caloria por exercício cardio tem uma ligeira vantagem, durante o exercício.  De um modo geral, corrida ou ciclismo pode usar de 10 a 12 calorias por minuto, enquanto que a musculação usa de 8 a 10 calorias por minuto.  No entanto, quando se leva em consideração o EPOC, a musculação tem a vantagem porque, em 60 minutos de treinamento, há um adicional de 25% de calorias queimadas após o treinamento.  Westcott (2012) indica que para cada três libras de músculo um ser humano pode queimar um extra de 120 calorias por dia.

Westcott (2012) também analizou as mudanças do corpo com a musculação em comparação com cardio e indicou que a imagem corporal pode aumentar imediatamente após um treinamento de musculação… Os músculos inundadios com sangue dão aos músculos uma força imediata.  E que as pessoas se sentem confiantes porque eles simplesmente levantaram peso.  Finalmente, Westcott (2012) indica que a natureza repetitiva dos clientes leva a um maior risco de lesão com cardio. Treinamento de força funcional ensina o cérebro a permitir que as contrações musculares sejam rápidas o suficiente para prevenir ou minimizar as lesões.

Tem alguma dúvida?

Fale com
a Dofit

Dúvidas? Pode enviar sua mensagem e nossa equipe responderá por e-mail ou Whatsapp.

© DoFit. 2022 - Todos os direitos reservados
Criado por deu lucro