fbpx

Fortalecendo o tornozelo após lesão

por Justin Price, MA em 21 de Set., 2017

Um tornozelo torcido possui efeitos de longo alcance que os personal trainers precisam entender para ajudar os clientes a se curarem e recuperarem a mobilidade. Uma torsão rompe um dos ligamentos que estabilizam o tornozelo. Esta é uma das lesões musculoesqueléticas mais comuns (Doherty et al., 2014), causando dor e outros problemas que podem restringir a mobilidade por até 2 anos (Anandacoomarasamy & Barnsley, 2005). Conforme o corpo compensa para proteger o tornozelo lesionado, desequilíbrios musculoesqueléticos podem surgir e causar mais dor e disfunções pelo corpo (Price & Bratcher, 2010).

Tudo isso mostra por que os personal trainers precisam saber o que causa torsões no tornozelo, como elas afetam o sistema musculoesquelético e como ajudar os clientes a tratarem uma lesão e prevenir a próxima.

Atividades/Exercícios com Tendência a Causar Torsões no Tornozelo.

Esportes que exigem uma desaceleração rápida do tornozelo (e do corpo) conforme ele se move de um lado para o outro – como basquete, hockey de campo, vôlei, squash e tênis – são mais propensos a lesionar os tornozelos (Hertel, 2002). Além disso, exercícios dinâmicos baseados em academia e no desempenho esportivo que desafiam o movimento de um lado para o outro – por exemplo, pulos laterais e drills com escadas – também podem causar torsões no tornozelo, principalmente se os praticantes não estiverem preparados para estas atividades.

Torsões no tornozelo vêm em duas variedades: torsões de inversão (mais comuns), onde o tornozelo rola para fora (Hertel, 2002), e torsões de eversão, onde ele rola para dentro. Torsões de eversão são menos comuns (em parte) porque o pé dobra para baixo do tornozelo lesionado e o posicionamento do outro pé no chão ajuda a desacelerar o estresse para o interior do tornozelo.

Como Torsões no Tornozelo Afetam o Corpo?

Quando você torce seu tornozelo, o corpo inicia uma variedade de respostas de cura dependendo da gravidade da lesão. Geralmente a articulação incha, os tecidos moles ao redor ficam inflamados, os músculos no pé na perna enrijecem, e o sistema nervoso limita os movimentos para proteger a articulação (Lynch, 2002). Embora o movimento de um lado para o outro geralmente cause torsões no tornozelo, a disfunção resultante na articulação afeta os movimentos para frente, para trás e rotacionais do tornozelo também.

Pense na biomecânica de andar ou correr: Quando um pé entra em contato com o chão, o tornozelo precisa ser capaz de girar internamento e externamente, flexionar, estender e mover de um lado para o outro (Cook, 2010). Se uma lesão impedir estes movimentos, então as outras estruturas no complexo do pé/tornozelo precisam compensar.

Por exemplo, uma torsão recente que está causando dor e imobilidade da articulação do tornozelo pode restringir o movimento do calcanhar e do pé. Com o tempo, isto pode irritar as estruturas dos tecidos moles do pé, causando fascite plantar e outros problemas dolorosos no pé (Chinn & Hertel, 2010).

Dor e disfunção no tornozelo podem causar problemas até na cadeia cinética:

  • O tornozelo conecta o pé ao osso da canela (tíbia) e o osso da panturrilha (fíbula), que forma a porção inferior da articulação do joelho. Por isso, um tornozelo torcido afeta o funcionamento do joelho.
  • A outra articulação do joelho se forma onde a tíbia e a fíbula encontram o osso da coxa (fêmur). Como resultado, imobilidade no tornozelo também afeta a perna e o quadril, onde o fêmur encontra a pélvis.
  • O movimento do quadril afeta o funcionamento da pélvis e a articulação sacroilíaca, onde a pélvis encontra a coluna.
  • Essas áreas, em resposta, afetam a posição e o movimento da coluna e consequentemente, a cintura escapular, a cabeça e o pescoço (Price & Bratcher, 2010).

Portanto, restrições no tornozelo em qualquer plano de movimento – para frente, para trás, de um lado para o outro ou rotacional – podem prejudicar movimentos que carregam peso no corpo todo (Kendall et al., 2005).

Escopo de Prática

Identificar, diagnosticar e tratar uma torsão no tornozelo – ou qualquer condição médica – é o trabalho de um profissional médico licenciado, e não de um profissional do fitness (Price, 2015). Porém, um especialista em exercícios corretivos ou profissional do fitness com habilidades adequadas pode facilitar a transição da fisioterapia/exercícios remediais para atividades atléticas mais dinâmicas e divertidas.

Realmente, o entendimento único de um personal trainer sobre músculos e movimento pode ajudar a evitar lesões nos tornozelos dos clientes, garantindo que o cliente possa continuar a se exercitar regularmente (ACE, 2010).

Existem diversos programas de pós-reabilitação e fortalecimento descritos em diversas páginas e podem auxiliar o seu cliente a voltar as atividades diárias. Programas que incentivem a dorsiflexão do tornozelo e a estabilidade do pé serão os mais benéficos para este tipo de cliente. Você pode ver um exemplo de um programa que respeite todas estas variáveis no nosso e-book do tornozelo: goo.gl/aMLwZq

Este programa tem o objetivo de fortalecer os tornozelos de um cliente para proteger contra lesões futuras ou reincidentes.

Tem alguma dúvida?

Fale com
a Dofit

Dúvidas? Pode enviar sua mensagem e nossa equipe responderá por e-mail ou Whatsapp.

© DoFit. 2022 - Todos os direitos reservados
Criado por deu lucro